10
Mai 12

Os tesouros dão muito trabalho

 

            Era de noite quando o António viu uma escada ao pé da cama. Subiu para descobrir o que estaria lá em cima e encontrou-se na sala de um castelo, onde havia uma arca cheia de moedas.

            – Um tesouro! Vou levá-lo comigo – disse o António.

            – Nem penses! – disse uma voz que vinha de um anão muito velho.

            – Estou aqui sozinho. Se me ajudares a arrumar a casa, levas o tesouro.

            – Que é preciso fazer? – perguntou o António.

            – Tudo – respondeu o anão.

            Então o António limpou, lavou, aspirou, poliu, varreu.

            – Agora é preciso tratar dos animais – disse o anão.

            – Então, o António escavou, ordenhou, selou e alimentou os animais do anão.

            – Falta a comida – informou o anão.

            Então, o António descascou, cozeu, estufou, grelhou, descongelou e serviu.

            – O tesouro é teu – disse o anão.

            Quando acabou de descer a escada, o António viu que estava na sua cama.

            – Sonhei – pensou ele. Mas a seu lado viu uma moeda de ouro.

            – Estás tão despenteado – disse a mãe- - Que andaste a fazer de noite?

            «Lavei, aspirei, cortei, arrumei, limpei, cozinhei», pensou o António.

            – Dormi – respondeu ele. – Como de costume.

 

                               Alice Vieira, Livro com cheiro a chocolate, Texto Editores

 

Que ações fez o António?

    arrumar a casa   tratar dos animais       

 

Para tratar da

casa

Para tratar dos animais

Para tratar da comida

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mas, afinal, o António apenas dormiu e sonhou...

                                     

Clica e brinca com os verbos... 

publicado por clic@r e @prender às 00:25
tags:

Maio 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


arquivos
pesquisar
 
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO
blogs SAPO